Adenóide e Amígdalas

          A cirurgia para remoção de adenóide e amígdalas pode ser indicada em qualquer idade quando essas estruturas trazem transtornos importantes para o paciente, mas é realizada principalmente em crianças. Estes são tecidos linfóides que podem trazer problemas respiratórios obstrutivos (ronco, apnéia e respiração oral crônica) ou infecções de repetição da via aérea superior.

       Nas crianças com obstrução respiratória crônica e hipertrofia destes tecidos, a indicação cirúrgica deve ser feita com cuidado por médico otorrinolaringologista, para evitar cirurgias desnecessárias, porém não deve ser negligenciada. A falha no tratamento dessas crianças causa alterações do desenvolvimento da face que tem repercussão para toda a vida do paciente, como alterações da arcada dentária, respiração oral e alteração da morfologia da face.

             A cirurgia é realizada em centro cirúrgico com anestesia geral, com proteção da via aérea inferior para prevenir aspiração de secreções durante o procedimento. O pós-operatório costuma ser doloroso, com dificuldade de alimentação nos primeiros dias após a cirurgia. A dor no pós-operatório costuma ser maior em adultos do que nas crianças. Em casos em que há coexistência de problemas de audição do tipo condutiva (otite serosa), pode ser instalado tubo de ventilação timpânico no mesmo ato cirúrgico, com o objetivo de garantir melhor ventilação da orelha média.

hipertrofia de adenóide e amígdalas